Documentos de Ação Estratégica

Plano de Desenvolvimento Digital (PADDE)

O PADDE é um documento estruturante que pretende refletir a visão da ESCT sobre o papel que pretende para a integração das tecnologias digitais na concretização do seu Projeto Educativo e para a melhoria de todo o processo educativo e organizacional, definindo o caminho e, sobretudo, o ritmo que a organização pretende imprimir para a integração do digital. A construção do PADDE respeita as dimensões dos DigComp Org1 e DigCompEdu, quadros de competências dirigido a todas as organizações educativas que pretendem promover a inovação de processos e práticas através da integração das tecnologias digitais.

Autonomia e Flexibilidade Curricular (AFC)

O Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular visa a promoção de melhores aprendizagens indutoras do desenvolvimento de competências de nível mais elevado, assumindo a centralidade das escolas, dos seus alunos e professores, e permitindo a gestão do currículo de forma flexível e contextualizada, reconhecendo que o exercício efetivo de autonomia em educação só é plenamente garantido se o objeto dessa autonomia for o currículo.

Estratégia de Educação para a Cidadania de Escola (EECE)

A Estratégia de Educação para a Cidadania na Escola, aqui apresentada, constitui um documento essencial para orientar o trabalho a desenvolver na escola, no sentido de materializar os desafios da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC).
Cidadania e Desenvolvimento assume-se como um espaço curricular privilegiado para o desenvolvimento de aprendizagens com impacto na atitude cívica individual, no relacionamento interpessoal e no relacionamento social e intercultural.

Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva (EMAEI)

A Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva constitui um recurso organizacional específico de apoio à aprendizagem, tendo em vista uma leitura alargada, integrada e participada de todos os intervenientes no processo educativo.

Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica

O Projeto MAIA materializa uma política, enquadrada no contexto da Autonomia e Flexibilidade Curricular, que visa melhorar as práticas pedagógicas das escolas e dos seus professores no domínio da avaliação e, consequentemente, as aprendizagens dos alunos

Plano Anual de Atividades 2021.2022

O Plano Anual de Atividades é o documento de planeamento, no qual são definidos, em função do Projeto Educativo, os objetivos, as formas de organização e de programação das atividades e são identificados os recursos necessários à sua execução.
Este é um documento flexível, podendo verificar-se a necessidade da sua reformulação ao longo do ano letivo, permitindo a integração de iniciativas que surjam e que sejam consideradas pertinentes, desde que apresentadas em Conselho Pedagógico e aprovadas em Conselho Geral devidamente planificadas pelos seus proponentes.

PNPSE - Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar

O Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar (PNPSE) visa a promoção de um ensino de qualidade para todos, num quadro de valorização da igualdade de oportunidades e do aumento da eficiência e qualidade das escolas.
Neste pressuposto, a ESCT, no ajustamento do seu Plano de Ação Estratégica, procura manter práticas educativas e aprendizagens que promovam o sucesso educativo de todos os seus alunos a partir do desenho e da definição de dinâmicas de intervenção, na tentativa de responder cabalmente às necessidades específicas do contexto e da população discente desta escola.

Plano de Formação Docente e Não Docente

Compete à comunidade educativa, à escola e aos professores unirem esforços para a melhoria da qualidade do serviço educativo, através de processos formativos internos ou externos com o objetivo de melhorar as práticas educativas e as aprendizagens dos alunos.
O Plano de Formação que se apresenta tem como objetivo principal preencher as necessidades de formação do pessoal docente e não docente da ESCT, definindo as linhas gerais para a formação da escola em função do seu Projeto Educativo e Plano de Ação Estratégica.

Avaliação Institucional | Avaliação Externa

A Avaliação Externa dos Agrupamentos de Escolas e Escolas não Agrupadas é desenvolvida pela Inspeção Geral de Educação e Ciência.
O 1.º ciclo de avaliação externa decorreu no ano letivo 2005/2006.
Em 2011 a IGEC iniciou o 2.º ciclo de avaliação externa das escolas, neste a ESCT foi avaliada no ano letivo de 2011/2012.

Avaliação Institucional | Avaliação Interna

A CAF assenta no pressuposto de que as organizações atingem resultados excelentes ao nível do desempenho na perspetiva dos cidadãos/clientes, dos colaboradores e da sociedade quando têm lideranças que conduzem a estratégia, o planeamento, as pessoas, as parcerias, os recursos e os processos. O modelo CAF analisa a organização de diferentes ângulos, em simultâneo, promovendo a análise holística da organização.
O modelo CAF permite desenvolver práticas de autoavaliação sistemáticas, abrangentes e participadas, agregando outras práticas de avaliação interna, nomeadamente, sobre as atividades dos grupos/departamentos, a consecução do plano anual de atividades (aferindo o impacto das atividades e constrangimentos e propondo linhas de ação) e de vários projetos e dos resultados académicos alcançados